6

6.os NOSSos gestores

Miguel
Stilwell de Andrade

Que balanço faz de 2017? Quais foram os maiores desafios?

Área Comercial Portugal

Num ano marcado por um contexto regulatório exigente e uma crescente atividade da concorrência no segmento residencial, a EDP Comercial (EDPC) conseguiu, através de uma estratégia centrada no cliente, manter a sua liderança no mercado residencial, alcançando 4 milhões de clientes de eletricidade, 650 mil de gás natural e mais de 650 mil clientes com serviços.

A EDPC tem vindo a diversificar a sua oferta, disponibilizando atualmente um portefólio de soluções inovadoras, como planos combinados de energia e serviços, soluções de eficiência energética e ofertas de mobilidade elétrica. Em 2017, destacamos a oferta Energia Solar EDP, líder de mercado com uma quota de 75% e o serviço Funciona que reforçou a sua proposta de valor com a introdução da auditoria à iluminação, atingindo 300 mil clientes no final do ano.

No segmento de Grandes Clientes reforçámos o posicionamento como full energy supplier, investindo no alargamento do portefólio de serviços de energia de forma a apresentar soluções inovadoras de poupança, produção de energia e gestão de consumos.

No segmento Estado destaca-se a assinatura do maior contrato de eficiência energética em modelo ECO.AP em Portugal celebrado com o Município de Valongo com a substituição de 16 mil luminárias num valor de 6,4 milhões de euros.

Em 2017, nas Pequenas e Médias Empresas atingiu-se uma taxa de retenção de clientes superior a 80%, assegurando margens adequadas. O programa Save to Compete completou cinco anos com mais de 60 milhões de euros em projetos de otimização energética.

A EDPC foi novamente reconhecida através de vários prémios, como o ESCI - Índice Nacional de Satisfação do Cliente, Escolha do Consumidor e Cinco Estrelas.

Espanha

Em Espanha, o ano de 2017 correu globalmente muito bem nas várias áreas de negócio (geração, distribuição elétrica, gás e também na área comercial), com a singularidade da venda com grande sucesso do negócio de distribuição de gás. O ano foi marcado por: um aumento da procura elétrica e de gás pelo terceiro ano consecutivo; forte recuperação da procura residual térmica pela fraca hidraulicidade; preços da pool com elevada volatilidade e acima do ano anterior; aumento significativo dos preços dos combustíveis fósseis, sobretudo o carvão; aumento da intensidade competitiva na área comercial; eliminação do défice tarifário anual e por isso um enquadramento regulatório mais estável e previsível; manutenção dos impactos negativos de taxas e impostos sobre a geração.

Ainda no que diz respeito a Espanha, na geração, mantivemos o foco na disponibilidade e flexibilidade das nossas centrais, cada vez mais importante num mercado volátil. Adicionalmente, fechamos os investimentos ambientais de deNOx nas centrais de Aboño 2 e Soto 3 dentro dos prazos e orçamento previsto.

Na distribuição de eletricidade, tivemos o melhor ano de sempre em qualidade de serviço técnico (20 minutos TIEPI) e continuamos a ser a referência em Espanha. Claramente estamos no novo paradigma de redes inteligentes em Espanha. Destacaria ter atingido próximo de 100% dos clientes com contadores inteligentes no final do ano, com elevadas taxas de eficácia de leituras e execução de ordens de serviço.

Na parte comercial em Espanha, superámos os 2,4 milhões de contratos na comercialização dual e cerca de 600 mil clientes Funciona. Em B2C, fomos eleitos pelos consumidores como a comercializadora elétrica líder em satisfação do cliente, segundo o índice STIGA. Em B2B mantivemos uma cobertura eficiente da produção e a otimização da carteira de clientes.