6

6.os NOSSos gestores

Miguel setas

Que balanço faz de 2017? Quais foram os maiores desafios?

O ano 2017 foi um ano de resultados sólidos num contexto de incerteza e transformação no Brasil. Foi marcado por diversas oportunidades e desafios para a EDP Brasil, que resultaram num crescimento de 89,4% no Lucro Líquido ajustado pelos efeitos não recorrentes, face ao ano anterior. O Lucro Líquido reportado atingiu os 611 milhões de reais, possibilitando a distribuição de 367 milhões de reais em dividendos.

O ano de 2017 marcou o início de um novo ciclo de crescimento das nossas operações, reforçando o investimento em todos os segmentos da cadeia de valor e estendendo a nossa presença geográfica de 9 para 12 estados da União. 
Afirmámo-nos como um investidor significativo no negócio da Transmissão, tendo sido o maior vencedor do Leilão 05/2016. Juntamente com a linha que já tínhamos contratado em 2016 assumimos o compromisso de investir 3,1 mil milhões de reais nos próximos cinco anos.

No segmento da Distribuição antecipámo-nos a futuros movimentos de consolidação e fizemos crescer a nossa presença, com a assinatura de contrato para aquisição de uma participação na Distribuidora de Santa Catarina, CELESC. O nosso plano de investimentos na Distribuição, para expansão e modernização da nossa rede, ascendeu este ano a 568 milhões de reais em São Paulo e no Espírito Santo. Este reforço de investimento traduzirá um aumento de 75% de investimento no ciclo 2016-2018 relativamente ao ciclo 2013-2015. Mais uma vez, à semelhança do que fizemos nas centrais de Santo António do Jari e de Cachoeira Caldeirão, entregámos, juntamente com CTG e Furnas, a primeira máquina da Central de São Manoel com 4 meses de antecipação. Em Pecém registámos um resultado francamente positivo, com um Lucro Líquido de R$ 74 milhões.

A evolução do PMSO (custos de pessoal, materiais, serviços e outros) atesta a efetividade do nosso programa de Orçamentação Base Zero, já na terceira edição e com ganhos superiores a 200 milhões de reais em termos acumulados. Não poderia deixar de registar também os avanços que tivemos na Comercialização e Serviços. Este ano obtivemos um resultado histórico de 151 milhões de EBITDA na Comercialização. E lançámo-nos no negócio do solar fotovoltaico distribuído, com projetos emblemáticos para a nossa Empresa. Tudo isto com um nível de motivação das nossas pessoas no Brasil que tem vindo a crescer nos últimos 3 anos, fruto do “Projeto Cultura”, e que atingiu este ano a marca de 84%, bem acima das melhores empresas do estudo de clima.

Que factos se destacam nas diferentes áreas de que é responsável?

No Brasil, creio que já destacamos os resultados económicos e operacionais da Empresa. Julgo que para além desses resultados, é muito significativa a nossa liderança nas áreas de sustentabilidade e inovação.

Em 2017, recebemos as mais variadas distinções na área de sustentabilidade, desde a presença no ISE – Bovespa (índice de empresas sustentáveis da Bolsa brasileira) pelo 12º consecutivo, à eleição como a “Empresa Mais Sustentável” do setor elétrico por uma renomada publicação brasileira.

No que diz respeito à inovação, este ano destacámo-nos no sector elétrico por termos sido os primeiros a apostar na robotização de processos de negócio e administrativos, uma das várias áreas incluídas na nossa Agenda de Transformação Digital.

A área de Recursos Humanos Corporativos também teve um ano muito intenso. Desde logo no acompanhamento de todo o processo de renovação geracional que está a ocorrer na EDP. A par deste processo, implantámos projetos tão importantes como a revisão do modelo de avaliação de desempenho, a melhoria do processo de gestão de talento, novos programas de formação e desenvolvimento em parceria com a Universidade EDP, a adoção de políticas de incentivo à diversidade e à mobilidade interna, a implantação do sistema de apoio à gestão de pessoas (AboutMe), a melhoria da informação de gestão com ferramentas de analytics, entre outros. E além de tudo isto, um foco na agilização de processos internos com ganhos de produtividade significativos (em três anos reduzimos em 50% o tempo de processamento interno das propostas de RH).